Modernização das comunicações policiais

Segurança Pública do Acre irá operar com comunicação via rádio digital

Postado em 25/09/2014 22:08:24Assessoria Sesp

DGM 4100  DGP 6150  DGM 6100

 Com o objetivo de aperfeiçoar e modernizar a comunicação entre os Sistemas de Integrados de Segurança Pública do Acre, a Secretaria de Segurança Pública (Sesp) investiu na construção de torres de Rio Branco a Cruzeiro do Sul para que as comunicações sejam realizadas por sinais digitais.

Esse projeto trás uma segurança maior, por se tratar de um rádio de tecnologia criptografada para os diálogos das polícias, além de agregar transferência de dados, comunicação visual, mensagens, localização do policial e da viatura.

Esse é um investimento de mais de 3 milhões de reias que o governo em parceria com o programa de Estratégia Nacional de Segurança nas Fronteiras (Enafron), para que se tenha um sistema moderno em rádio comunicação e internet na capital e em todo o interior do estado.

O gestor de políticas publicas e coordenador de tecnologia da Sesp, Leonardo Barrozo, explica que a partir da implantação desse projeto, o Acre terá a rádio comunicação digital das policias que hoje atua de forma analógica.

“Essa tecnologia é muito semelhante aos telefones celulares, à primeira etapa será a construção das torres e dos raios de interligação entre elas, para que seja possibilitada a comunicação entre os municípios de todo o estado  “, destacou Leonardo Barrozo.

Barrozo ressalta que essa primeira etapa da obre está prevista para ser concluída em 120 dias, em meados de fevereiro do próximo ano as primeiras comunicações digitais entre as polícias já estarão funcionando.

CVA 2014- CMPA

Participação do Clube de Radioamadores do CMPA no CVA 2014

Participação do Clube de Radioamadores do CMPA no CVA 2014

No ano de 2014 aconteceu o CVA 2014 – Concurso Verde Amarelo, estando em sua 55ª edição. Competição de radioamadorismo promovido pela Escola de Comunicações do Exército Brasileiro. O concurso acontece nos 3º e 4º finais de semana do mês de agosto dentro das comemorações do dia do soldado.

Há diversas modalidades de participação, em uma delas, de estação rádio em organização militar houve a participação da Estação Rádio PY3CM, do Colégio Militar de Porto Alegre. Esta participação evidencia alguns aspectos positivos de cooperação entre entidades militares e civis visando, também, a integração destas entidades para futuras necessidades de operações em conjunto.

A PY3CM, é a estação rádio do Colégio Militar de Porto Alegre que utiliza as instalações do 1º CTA (1º Centro de Telemática de Área) no Morro Santa Tereza. Os equipamentos são montados por uma equipe de radioamadores dedicados e competentes do Centro Tecnológico Parobé. São eles, Christian Câmara – PY3XX, Pedro Preissler – PY3BM, Miguel Zimermann – PY3MM, Fleurivan Jacobus – PY3FJ, Flávio Walker Silva – PY3AFS, José Alberto Hoerlie – PY3JH, Jeferson Simões – PY3JSS, Tomi Pasin – PU3TPR, Marcelo Mendonça – PT2OM, Cláudio Chicon – PY3NZ, Cleiton Lazaro – PU3CAL e Vitor Rien – PY3VFR. Estes radioamadores trabalharam no sábado e domingo dos dias 16,17,23 e 24 de agosto de 2014, conquistando a expressiva colocação de 2º lugar na modalidade telegrafia e 1º lugar em fonia.

Em nome da Estação Rádio PY3CM agradecemos a esta valorosa equipe que muito bem representa o positivo espírito de colaboração existente entre os radioamadores. Os resultados da competição de radioamadorismo pode ser conferida no sítio da internet do CRAEC (Clube de Radioamadores da Escola de Comunicações) em http://www.cvadx.org/.

Não poderíamos deixar de agradecer, também, a pronta disponibilidade da chefia do 1º CTA, Cel Stocchero que autorizou a utilização das instalações daquele centro e ao Ten Iltair, responsável direto pela estação rádio do 1º CTA que de maneira incansável apoiou toda a execução dos trabalhos do CVA 2014.

Porto Alegre-RS, 30 de outubro de 2014.

Gentil César Bruscato – Cap R/1

Coordenador do Clube de Radioamadores do CMPA

Postado por CLUBE DE RADIOAMADORES DO CMPA às 23:18

O satélite AESP-14

 

 

 

 

download (2)                    download               download (1)

 

 

Por Edson W. Pereira, PY2SDR.

O satélite AESP-14 transmite sinais digitais na freqência de 437,600
MHz em 9600 bps usando a modulação GFSK no padrão G3RUH. GFSK é um
tipo de modulação em frequência e pode ser recebida por um receptor de
FM. Porém a largura de banda dos filtros do receptor precisa ser de
pelo menos 15 kHz para que o sinal em 9600 bps possa passar sem
distorções.

Muitos transceptores FM para radioamador possuem uma saída para 9600.
Essa saída no passado era normalmente usada para rádio-pacote usando
um TNC (Terminal Node Controler) conectado via interface serial ao
computador. Hoje é possível emular um TNC em software e usar a placa
de som do computador para digitalizar os sinais provenientes do rádio.
Um software que permite a emulação de um TNC é o Mixw.

Para funcionar com o AESP-14, o Mixw precisa ser configurado para o
modo “Packet” usando o menu “Mode”. Posteriormente selecione “Mode
Settings” também no menu “Mode” e na aba “Modem”, selecione “VHF 9600
baud G3RUH”. Depois disso, entre no menu “Config”, selecione a opção
“Sound Device Settings”, e selecione a interface de áudio que você
deseja usar como entrada de áudio proveniente do receptor. Após isso,
o Mixw deverá estar apto a receber os sinais do satélite.
Certifique-se que a interface de áudio está funcionando antes de
tentar usá-la com o Mixw.

Uma alternativa para receber os sinais do satélite é o uso de um SDR.
Existem vários tipos de interfaces para SDR, mas duas muito comuns são
o FUNcube Dongle e o RTL-SDR. Esse último custa por volta de US$10 e
alguns fornecedores enviam de graça para o Brasil. Um software para
SDR que é fácil de usar e funciona muito bem é o SDRSharp. Existem
vários guias na Internet de como usar o SDRSharp com vários tipos de
SDR. No caso do RTL-SDR, eu recomendo esse guia.

No caso do uso de um SDR, a saída de áudio do software para SDR
precisa ser conectada a entrada de áudio do Mixw. Isso pode ser
realizado com o uso de um cabo de áudio virtual. Eu uso o VBcable. O
VBcable é grátis e muito simples de usar. O site do VBcable descreve
como instalar o software. O VBcable não necessita configuração. Após a
instalação do VBcable, reinicialize o computador e selecione “VB Audio
(Cable Input” como dispositivo de saída de áudio do SDRSharp (na seção
Audio / Output no quadro de controle na esquerda da tela do software).
No Mixw, selecione “VB Audio (Cable Output” como dispositivo de
entrada de áudio. No SDRSharp, configure o modo para “NFM” e a largura
de banda para 15 kHz.

Como antena, existem diversas possibilidades. Antenas verticais
omnidirecionais normalmente usadas para contatos locais ou via
repetidoras não são adequadas para receber sinais de satélites uma vez
que as mesmas não possuem ganho suficiente em ângulos de irradiação
mais elevados. Na página do PY4ZBZ você poderá encontrar vários
projetos de antenas desenvolvidos especificamente para uso com
satélites.

Para maior eficiência, a frequência do receptor deve ser corrigida
para compensar o efeito doppler. Em 437 MHz, no tipo de órbita do
AESP-14, o efeito doppler pode chegar à +- 10 kHz. No início da
passagem do satélite o sinal fica acima da freqência nominal. No caso
do AESP-14, por volta de 437,610 MHz. Durante o passo a frequência vai
diminuindo e no final a frequência chega próximo à 437,590 MHz. A
correção do efeito doppler pode ser feita de forma automática usando o
software Orbitron. Um plugin é necessário para permitir o Orbitron se
comunicar com o SDRSharp.

O PY4ZBZ escreveu esse guia explicando como baixar e instalar o plugin
e como configurar o Orbitron e SDRSharp. Receber sinais digitais de
satélites requer um pouco de estudo, preparo e dedicação por causa do
grande número de tecnologias envolvidas. Esse artigo ilustra somente
um exemplo. Não existe uma receita de bolo que funcionaria para todos,
pois existem vários tipos de receptores, de softwares, de SDRs, de
antenas, etc. Em caso de dúvidas e/ou dificuldades, entre no forum da
AMSAT-BR e poste uma mensagem. Nós tentaremos te ajudar no que for
possível. Apesar dos desafios, a recepção de sinais digitais e de
telemetria de satélites é uma atividade muito interessante, educativa,
e prazerosa.

73, Edson PY2SDR

Fonte: CRAM – Clube dos Radioamadores de Americana

Enviado pelo colega Flavio