Navegando Posts em Acidentes

 

image010

 

Fazendo uma comparação um pouco grosseira, mas objetiva, os equipamentos de radioamadores e os motores de automóveis não mudaram em nada após as suas invenções. Hoje, se desmontarmos um motor de carro vamos ver que 90% do que encontramos lá são os mesmos componentes de quando foram criados os primeiros carros.

O mesmo acontece com os tranceptores de radioamadores; ali encontramos: pré-amplificadores de microfone, bobinas de sintonia, VFO, circuito de modulador balanceado, tanque final, etc…, tudo igualzinho ao que havia desde o começo da invenção dos trasmissores.

Hoje o que existe são transceptores modernos, com alguns adornos, em cima do que já existia, desde muitos anos, como limitadores de ruído,DSP, etc…

Quando corujamos os colegas possuidores desses transceptores modernos, notamos que eles não “fazem mais rádio“, como costumeiramente, mas ficam o tempo todo se perguntando: como está o meu áudio, como está o meu áudio, como está o meu áudio, tema este que era muito pouco falado na época do AM, porque essa modalidade representava e representa até os dias de hoje, o melhor áudio Hi-fi que se conseguiu até agora; AM não tem distorção, enquanto FM e DSP têm; sabe-se que o melhor áudio se consegue é aquele com duas válvulas EL34 na saída do áudio, apoiados por um circuito envolvendo outra excelente válvula a 12 AX7, que é um duplo triodo pré-amplificado de microfone; por sinal os colegas radioamadores que usam transceptores com DSP já estão até mesmo adquirindo “mesas” para microfones, com circuitos feitos de válvulas 12 AX7, no intuito de melhorarem a “performance” dos transceptores devido à distorção produzida por DSP.

Quando nós operávamos com os antigos transmissores valvulados de AM, como os DELTAS GELOSO, raramente nós faziamos a pergunta “como está o meu áudio”, porque todos aqueles transmissores tinham a mesma qualidade de áudio e ninguém ia se preocupar de fazer a pergunta tão reduntante. As únicas vezes que alguém reclamava do áudio era quando aquela malha do cabo de microfone feita de muitos fios fininhos dourados se enferrujava e ai se quebrando até isolar do terra provocando um zumbido desagradável para quem estava do outro lado nos escutando.

Portanto, colegas, o melhor áudio Hi-Fi é o AM. Você não precisa ir atrás de outro. Por mais que os colegas possuidores de transceptores com DSPprocurem melhorar o áudio deles, nunca irão chegar a nenhuma conclusão, pois o SSB já é uma deformação do AM e o DSP, uma deformação dos dois, o que ainda complica mais a situação

Além de tudo eu já notei que os transceptores com DSP precisam ser sempre reconfigurados cada vez que os ligamos para falar.

Fontes:

QTC da Labre-Ceará -PU4-TAM / PX4H-2657 / Magela
Rodada do Bule

12/01/2011

Rio de Janeiro/RJ – A Polícia Federal no Rio de janeiro prendeu nesta manhã, 12, um homem que utilizava a freqüência da Marinha para atormentar e atrapalhar o serviço marítimo.

Em meados de 2010, a Marinha do Brasil reportou à Anatel interferência na frequência 156.8MHz, canal 16 do Serviço Móvel Marítimo, proveniente de estação não identificada na área da baía de Guanabara. Este canal é reservado internacionalmente para alerta de socorro e salvamento no Serviço Móvel Marítimo.

O indivíduo que causava tal interferência se autodenomina “CIAGA”. A Anatel passou a monitorar a frequência e rastrear o interferente que utilizava o referido canal quase que diariamente. O indivíduo utilizava voz em falsete, instigava outros cidadãos a se comunicarem com ele indevidamente no mesmo canal e zombava da Marinha e usuários regulares deste canal. A Anatel identificou com o seu aparato técnico de rastreamento e localização que a fonte interferente partia de um transmissor fixado em um veículo, no caso, um táxi.

A Anatel solicitou apoio à Polícia Federal, que após investigações conjuntas, identificou o infrator e prosseguiu com a operação realizada hoje que culminou na prisão em flagrante do indivíduo autodenominado CIAGA.

A prisão efetuada pela Polícia Federal ocorreu por volta das 10h00 em Copacabana com auxílio da Anatel que rastreava em tempo real o veículo. O indivíduo foi autuado com base no Art. 261 do Código Penal Brasileiro.

Por Comunicação Social /Superintendência Regional da PF no Rio de Janeiro

(21) 2203-4408

www.dpf.gov.br/dcs



Se os peritos dizem que é perigoso, quem somos nos para contrariar.

Obs: isto não é uma previsão, esta acontecendo agora.

Máximo diário do Índice Ultravioleta para a região Sul
(meio-dia solar – céu claro – sem nuvens)

Precauções recomendadas pela Organização Mundial da Saúd


O transistor

Sem comentários

O transistor foi inventado nos Laboratórios da Beel Telephone em dezembro de 1947 ( e não em 1948 como é freqüentemente dito) por Bardeen e Brattain.
Descoberto por assim dizer, ( visto que eles estavam procurando um dispositivo de estado sólido equivalente à válvula eletrônica ), acidentalmente durante os estudos de superfícies em torno de um diodo de ponto de contato.

Os transistores eram portanto do tipo point-contact, e existe evidência que Shockley, o teorista que chefiava as pesquisas estava chateado porque esse dispositivo não era o que estava procurando. Na época, êle estava procurando um amplificador semicondutor similar ao que hoje chamamos de “junção FET”.

O nome transistor foi derivado de suas propriedades intrínsecas “resistor de transferência”, em inglês: (TRANsfer reSISTOR). Os Laboratórios Bell mantiveram essa descoberta em segredo até junho de 1948 ( daí a confusão com as datas de descobrimento ).

Com uma estrodosa publicidade, eles anunciaram ao público suas descobertas, porem poucas pessoas se deram conta do significado e importancia dessa publicação, apesar de ter saido nas primeiras páginas dos jornais.

Embora fosse uma realização científica formidável, o transistor não alcançou, de imediato, a supremacia comercial. As dificuldades de fabricação somadas ao alto preço do germânio, um elemento raro, mantinham o preço muito alto. Os melhores transistores custavam 8 dólares numa época em que o preço de uma válvula era de apenas 75 cents.
Shochley ignorou o transistor de ponto de contato e continuou suas pesquisas em outras direções. Ele reorientou suas idéias e desenvolveu a teoria do transistor de junção.

Em julho de 1951, a Bell anuncia a criação desse dispositivo. Em setembro de 1951 eles promovem um simpósio e se dispõem a licenciar a nova tecnologia de ambos os tipos de transistores a qualquer empresa que estivesse disposta a pagar $25.000,00.
Este foi o início da indústrialização do transistor.
Muitas firmas retiraram o edital de licença. Antigos fabricantes de válvulas eletrônicas, tais como RCA, Raytheon, GE e industrias expoentes no mercado como Texas e Transitron.

Muitas iniciaram a produção de transistor de ponto de contato, que nessa época, funcionava melhor em alta frequência do que os tipos de juncão. No entanto, o transistor de junção torna-se rapidamente, muito superior em performance e é mais simples e fácil de se fabricar.
O transistor de ponto de contato ficou obsoleto por volta de 1953 na América e logo depois, na Inglaterra.

Somente alguns milhares foram fabricados entre 120 tipos, muitos americanos ( não incluindo nestes números, versões experimentais ).
O primeiro transistor de junção fabricado comercialmente era primitivo em comparação aos modernos dispositivos, com uma tensão máxima entre coletor-emissor de 6 volts, e uma corrente máxima de poucos miliamperes.

Particularmente notável, foi o transistor CK722 da Raytheon de 1953, o primeiro dispositivo eletrônico de estádo sólido produzido em massa disponível ao construtor amador. Vários tipos de transistor foram desenvolvidos, aumentando a resposta de freqüência diminuindo os níveis de ruido e aumentando sua capacidade de potência.

Na Inglaterra, duas empresas mantiveram laboratórios de pesquisa não tão adiantadas quanto na américa: Standard Telephones and Cables (STC) e a General Electric Company of England “GEC”, ( não tem telação com a GE americana).
Foram feitas pesquisas na França e Alemanha sem efeitos comerciais.

Em 1950, um tubarão entra nessa pequena lagoa: a PHILIPS holandesa através da Mullard, sua subsidiaria inglesa, com uma planta completa para industrializar o transistor.
A meta da Philips era dominar 95% do mercado europeu, alcançando esse objetivo em poucos anos. A série “OC” de transistor dominou a europa por mais de 20 anos.

Os antigos transistores eram feitos de germânio, um semicondutor metálico, porem logo se descobriu que o silício oferecia uma série de vantagens sobre o germânio. O silício era mais difícil de refinar devido ao seu alto ponto de fusão, porem em 1955 o primeiro transistor de silício já era comercializado.

A Texas Instruments foi uma das empresas que mais tomou parte no desenvolvimento inicial dessa tecnologia, lançando uma série de dispositivos conhecidos na época pelas siglas “900″ e “2S”.

A grande reviravolta veio em 1954, quando Gordon Teal aperfeiçoou um transistor de junção feito de silício.
O silício, ao contrário do germânio, é um mineral abundante, só perdendo em disponibilidade para o oxigênio. Tal fato, somado ao aperfeiçoamento das técnicas de produção, baixou consideravelmente o preço do transístor. Isto permitiu que ele se popularizasse e viesse a causar uma verdadeira revolução na indústria dos computadores. Revolução tal que só se repetiria com a criação e aperfeiçoamento dos circuitos integrados.